12 anos em coma e agora conta ALGO que vai gelar teu sangue…

Por 12 longos anos Martin Pistorius ficou preso em seu próprio corpo. Todos ao seu redor pensavam que estava inconsciente, que não ouvia nem via absolutamente nada. Porém, Martin pôde finalmente contar o que realmente aconteceu. Quando você tentar se colocar no lugar dele, não vai se sentir muito bem.

Martin viu tudo, escutou e entendeu, mas não podia dar nenhum sinal à respeito. Não podia falar nem se mexer. Agora, ao ver o Martin, fica difícil imaginar tudo o que ele passou.

Ele tinha 12 anos, estava completamente saudável.

Martin nasceu nad África do Sul. Um dia chegou em casa da escola e reclamou de mal-estar.

Martin foi piorando cada vez mais, perdendo a capacidade de falar, seus músculos debilitando e não conseguindo se locomover.

Os médicos diagnosticaram-no com uma nova doença degenerativa. Disseram aos pais que Martin tinha perdido completamente o contato com o mundo exterior e que não conseguia entender o que estava acontecendo ao seu redor.

Mas estavam errados!

É assim como ele está hoje. Agora consegue falar com ajuda de um computador que fala o que ele digita.

Ele diz que ouviu e viu muitas coisas, mas ninguém se importava com ele, o tratado como se fosse um fantasma. Um dia ouviu sua mãe dizer, em um ataque de desespero, que teria sido melhor se ele tivesse morrido.

“Não fazia nem idéia que ele ouvia tudo. Sinto muito pelo que disse!” – conta a mãe de Martin com muita dor no coração.

Martin conta que ficou sentido ao ouvir aquilo, mas que entendia o que sua mãe havia dito. Ele sabia que ela se considerava uma má mãe, que não podia com tudo. Para ele foi muito difícil, porque não podia falar e não podia dizer para ela que era uma boa mãe e que estava fazendo tudo muito bem.

Martin vivia na casa dos pais, mas de vez em quando era levado ao centro médico, onde em algumas ocasiões zombavam dele. Mas de acordo ao Martin havíam mais doutores bons do que maus. Como aquela que notou uma faísca de vida em seus olhos. “Ela entendeu que eu estava aqui e que também podia entender tudo.”

Pouco a puoco, Martin aprendeu a se comunicar. Fez um enorme esforço e pôde controlar seu corpo. Conseguiu se formar na universidade, tirou carteira de motorista e agora dirige um carro especialmente adaptado.

Em 2008 conheceu a amiga de sua irmã, Joanna. Em 2009 se casaram.

Martin faz um apelo a todos para tratarem os demais com bondade, respeito e compaixão. Nunca subestime o poder da razão, a importancia do amor, e a fé. Não se pode deixar de sonhar.

Suas palavras merecem ser ouvidas, e sua história nos inspira a nunca nos rendermos, não importa o que aconteça!

Comentarios

comentarios

Curtiu este post? Então clique aqui:

Você também pode gostar